Gamificação nas empresas: guia completo para estimular a equipe

Gamificação criativa de alta performance e estratégias de gamificação. Eleve o engajamento dos treinamentos criando interações lúdicas com sua equipe.

Escrito por:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
gamificação nas empresas

Com as transformações que vêm surgindo no mercado atualmente, aparecem também novas metodologias voltadas para o desenvolvimento das organizações. Uma dessas ideias é a gamificação nas empresas, que tem sido utilizada por negócios de diferentes segmentos, com diversos objetivos.

Ela pode, inclusive, contribuir para estimular e desenvolver profissionais. Alguns contextos em que a sua aplicação é possível incluem treinamento comportamental, integração de novos colaboradores e desenvolvimento da comunicação interna, por exemplo.

Assim, é muito relevante discutirmos a respeito dessa ideia e avaliarmos sua utilização no negócio. Se você quer saber mais sobre a gamificação é só continuar lendo. Trouxemos um guia completo com detalhes e dicas para ajudar!

Afinal, o que é gamificação e quais são os seus benefícios? 

Gamificação, ou gamification, refere-se à utilização de mecanismos e elementos de jogos em questões da vida real. Seus principais benefícios incluem aumentar a motivação e o engajamento em uma atividade, facilitar a compreensão e assimilação de um conteúdo ou contribuir para a execução de uma tarefa, tornando-a mais agradável, por exemplo.

Dessa maneira, apesar de poder recorrer ao lúdico em alguns momentos, não se trata de uma “brincadeira” que visa tirar os participantes de sua realidade. Trata-se, na verdade, de empregar ferramentas de jogos para auxiliar em certos objetivos. Essa ideia tem sido utilizada em variados contextos, como a educação, a saúde e, claro, as organizações. Conheça a seguir mais detalhes das suas vantagens!

Auxílio em treinamentos e capacitações

Quando a gamificação tem aplicação adequada nos treinamentos certos, ela contribui muito para que os participantes se envolvam com o conteúdo, melhorando o seu aprendizado. Em várias situações, ela é mais eficiente que uma aula expositiva, por exemplo, que pode ser cansativa e entediante.

Além disso, algumas técnicas desenvolvem o trabalho em equipe e a competitividade saudável, ou até mesmo colocam os participantes em situações parecidas com as que vão lidar na prática.

Contribuições para a motivação dos colaboradores

Quando a gamificação combina com o perfil dos colaboradores e consegue cativá-los, ela pode ser um grande elemento de motivação. As bonificações envolvidas ou o simples fato de certa atividade se tornar mais agradável ajuda a estimular as pessoas, favorecendo o engajamento com essa tarefa e até com a empresa em si.

Desenvolvimento de habilidades

A gamificação também pode levar ao desenvolvimento de diferentes habilidades. Pense bem: existem elementos de jogos que estimulam a persistência, a parceria para o trabalho em equipe, o raciocínio, o otimismo e muito mais. A metodologia certa pode ser utilizada, inclusive, no desenvolvimento de liderança.

Esses são apenas alguns exemplos dos benefícios da gamificação. Ela consegue ser empregada de outras formas com colaboradores, como em processos de onboarding, e até mesmo com clientes, melhorando sua experiência com a marca da empresa.

Para obter sucesso, no entanto, é importante reforçar que as práticas devem ser bem selecionadas e aplicadas, encaixando-se ao momento, aos objetivos e aos participantes.

Como criar ações e estratégias de gamificação nas empresas?

Para aplicar a gamificação com mais assertividade e ter maior garantia de eficácia, existem alguns passos a serem dados. Confira as nossas dicas a seguir!

Identifique objetivos e faça um planejamento

O planejamento é fundamental para acertar no uso da gamificação. Em primeiro lugar, é preciso identificar em qual problema essa prática será focada, ou seja, para qual questão ela será uma estratégia de melhoria. Em seguida, é necessário definir os seus objetivos, pensando no que se pretende alcançar com ela.

Assim, se o problema está ligado ao clima organizacional, por exemplo, seus objetivos podem ser motivar os colaboradores ou melhorar a comunicação, entre outros. Ter clareza sobre esses fatores é essencial para identificar qual estratégia será usada.

Tenha atenção ao perfil dos profissionais

Para que a gamificação dê certo, ela deve ser capaz de cativar o seu público alvo. Se as pessoas não se identificarem ou não se interessarem pelas práticas oferecidas, de nada vai adiantar. Aliás, isso pode até causar-lhes mais desconforto e desmotivação. Por isso, tenha atenção para adequar as metodologias e técnicas aos participantes.

Para isso, considere o seu perfil — interesses, hábitos, linguagem, comportamentos e motivações. É necessário pensar nas particularidades de cada colaborador e no que todos têm em comum. É importante que a prática seja atrativa e, além disso, ela não deve ser desafiadora ao extremo.

Leve em conta a cultura da empresa

cultura organizacional é outro ponto fundamental para se levar em conta. Desde o planejamento, lembre-se de que a gamificação deve estar alinhada aos valores da companhia, para escolher práticas que não se desviem desses princípios. Na verdade, algumas vezes a gamificação pode até ser utilizada para reforçar a cultura.

Compreenda princípios da gamificação

Com o que vimos até aqui, já ficou mais fácil compreender o que é a gamificação e como utilizá-la, não é mesmo? No entanto, ainda é comum confundir essa prática com outros conteúdos interativos. Para não cometer esse erro e encontrar as estratégias certas para a sua empresa, é preciso entender que a gamification apresenta alguns princípios.

Para ser considerada como gamificação, a prática deve ter, por exemplo:

  • regras fixas;
  • resultados variáveis que possam ser mensurados;
  • demandar algum esforço dos participantes;
  • ter consequências negociáveis de acordo com isso.

Além disso, certos fatores fazem com que uma estratégia não seja considerada parte dessa metodologia. Simulações sem uma conclusão clara ou práticas de “sorte” são alguns exemplos que podemos citar.

Crie uma estratégia

Com base nos passos anteriores, chegou a hora de decidir quais estratégias de gamificação serão aplicadas. Pesquise em boas fontes, registre e analise suas possibilidades — de acordo com o que se mostrar alinhado com seus objetivos, problema, cultura e público.

Também é importante, nesse momento, verificar o que se encaixa no orçamento e nos recursos da empresa, para fazer a melhor escolha considerando o custo-benefício.

Conheça erros na prática da gamificação para evitá-los

Além das dicas citadas até aqui, é fundamental lembrar certos erros que podem acontecer ao implementar a gamificação, para que você os evite ao máximo. Não se deve, por exemplo, considerar que a gamificação funciona apenas por meio de tecnologia. Como você verá no decorrer deste conteúdo, existem muitas práticas de qualidade que não exigem, necessariamente, o uso de dispositivos eletrônicos.

Também não se deve aplicar a gamificação apenas por considerá-la inovadora. Não queira implantar essa metodologia às pressas apenas para tentar se destacar, inclusive porque há muitas chances de erros e prejuízos com esse tipo de conduta. Se for aplicar a gamificação, tenha em mente que é um processo e deve ser feito com calma e cuidado, até mesmo para não gerar um impacto negativo nos colaboradores.

Informe aos seus colaboradores

É muito importante informar seus colaboradores sobre a gamificação, seu funcionamento e sua importância. Você pode comunicar a novidade nos canais da empresa, como murais e redes sociais corporativas, ou ainda por email, caso a prática não se destine a todos os profissionais. Mantenha-se aberto para esclarecer dúvidas e, depois de algum tempo, é interessante colher opiniões para ver o que os colaboradores estão achando do método.

Acompanhe os resultados

Mensurar e acompanhar os resultados da gamificação é essencial para garantir que estão sendo realizadas as práticas certas, fazendo com que esse investimento valha a pena. Para colher as opiniões dos colaboradores, você pode realizar pesquisas, por exemplo. Além disso, é muito importante acompanhar os indicadores a fim de verificar se os objetivos estão sendo atingidos.

Quais são os melhores exemplos de estratégias e elementos da gamificação?

Agora que você já sabe o que é e como aplicar a gamificação nas empresas, vamos explicar algumas estratégias dessa metodologia. Existe uma grande quantidade de práticas de gamification, cada uma com suas particularidades. Por isso, é crucial se informar e pesquisar sobre os modelos e técnicas mais vantajosos para o seu negócio. Confira os nossos exemplos a seguir!

Storytelling

Essa é uma técnica muito utilizada para despertar o interesse sobre algo, chamando a atenção e cativando as pessoas. Trata-se de saber contar uma história que se conecte com o seu público-alvo, gerando engajamento de alguma forma. A narrativa pode ser bem simples, não sendo necessário fantasiar demais.

O mais importante é transmitir a mensagem certa, de acordo com sua empresa e seus objetivos, e envolver o público de alguma maneira, contendo elementos com os quais ele consiga se identificar. Aqui, é essencial conhecer características dos participantes.

Quiz

Essa prática é utilizada para que os colaboradores conheçam melhor a cultura organizacional, a partir de um quiz a respeito dos valores e da missão da empresa, por exemplo. Lembre-se de que a intenção não é punir ninguém que mostre poucos conhecimentos. Por outro lado, você pode oferecer pequenos prêmios para quem marcar mais pontos.

Aplicativos e plataformas

Práticas virtuais também devem fazer parte da sua gamificação, desde que se alinhem ao perfil dos colaboradores, objetivos da empresa e os outros requisitos já apontados aqui. Também é fundamental que isso não prejudique o orçamento da companhia, é claro. Você pode contratar desenvolvedores de aplicativos que criem as plataformas desejadas — apenas escolha profissionais competentes para evitar arrependimentos!

Smarty Pig

Falando em gamificação em meios virtuais, esse é um dos melhores exemplos que podemos citar. O Smarty Pig é uma ferramenta que, de forma lúdica, pretende auxiliar com as finanças.

Nele, é possível criar uma poupança online e estabelecer metas, sendo que os objetivos são medidos com uma barra de progresso que visa motivar os participantes. Existem várias outras plataformas gamificadas para diferentes objetivos, que vão desde trabalhar com SEO até colher feedbacks de clientes.

Recompensas

Esse é um elemento muito importante em práticas de gamificação, pois, nelas, assim como em um jogo, os participantes se sentem estimulados e motivados por ganharem algo. As recompensas podem ser simples, como medalhas ou moedas que são usadas para realizar trocas por outra coisa. De certa maneira, isso também funciona como um tipo de feedback positivo, pois reforça e reconhece o participante pelo seu desempenho.

Desafios e missões

Esses são dois elementos também muito importantes para estimular os participantes, mas é preciso tomar cuidado: os desafios não podem ser difíceis demais nem fáceis demais para o seu público-alvo — pois isso os desmotiva e faz com que percam o interesse.

Em uma prática com “fases”, o nível de dificuldade pode ir aumentando gradativamente, mas é sempre importante manter essa questão em mente, mantendo o equilíbrio.

Como utilizar o ROI e acompanhar os resultados da gamificação?

Calcular o Retorno sobre Investimento (ROI) da gamificação é de extrema importância para verificar se as práticas estão valendo a pena financeiramente. Existe uma fórmula básica, bem simples para fazer esse cálculo, que consiste na subtração dos custos da receita obtida e, posteriormente, na divisão desse resultado pelo valor dos custos novamente.

Assim, vamos supor que a receita atingida com a gamificação foi de R$ 50 mil e seu investimento foi de R$ 5 mil. O valor da subtração seria R$ 45 mil, que seria então dividido por 5 mil. No final das contas, o ROI seria igual a 9 vezes (ou 900%) o investimento inicial.

Esse foi apenas um exemplo para ilustrar esse cálculo, mas é importante lembrar que, para além dessa formula, existem outros métodos mais específicos ou aprofundados para essa prática. Você consegue, inclusive, utilizar ferramentas que auxiliem com essa tarefa.

Para maiores garantias de atingir um bom Retorno sobre Investimento, é necessário atentar aos pontos já mencionados aqui. Além disso, avalie a proposta da prática (analisando se ela é realmente envolvente para os participantes) e se as regras são claras e compreensíveis.

Não deixe de pedir feedbacks aos seus colaboradores para saber se eles estão gostando dessa metodologia e incentive que sejam sinceros, reforçando que ninguém será punido por uma opinião negativa.

Como aplicar gamificação na comunicação interna da empresa?

A gamificação pode ser uma eficiente estratégia para promover a comunicação assertiva na empresa, o que, muitas vezes, constitui-se como um desafio. Com a escolha de práticas adequadas para as pessoas, é possível fortalecer a integração entre colaboradores, inclusive conectando pessoas de diferentes idades e cargos.

O próprio quiz, já comentado anteriormente, pode ser uma boa técnica nesse momento. Além dele, separamos mais alguns exemplos de práticas dessa metodologia, com contribuições mais voltadas para a comunicação interna (CI). Confira!

Telefone sem fio

Talvez você já até tenha brincado disso em algum momento na vida, mas na gamificação essa prática passa por algumas transformações. Os responsáveis pela comunicação interna devem passar uma história para todos os líderes da empresa, que devem, por sua vez, repassar parte dessa história às suas equipes.

Por fim, os colaboradores passam a sua parte para o time de CI e a equipe vencedora será aquela cujo relato for mais parecido e tiver mais detalhes da história inicial. Um dos principais objetivos dessa prática é melhorar a integração e a comunicação entre colaboradores e líderes.

Quem é o colaborador

Nessa atividade, os responsáveis pela CI criam um perfil para cada participante, contendo características como hobbies e interesses. Esses perfis são apresentados, um a um, a todos os envolvidos na técnica, sem explicar de quem cada um deles se trata. Os colaboradores devem, então, identificar quem é o dono de cada perfil. Os acertos podem gerar acúmulo de pontos ou pequenas recompensas.

Essa estratégia pode ser realizada tanto em um único momento, como uma dinâmica de grupo, quanto de maneira gradativa, apresentando um perfil por semana e dando um tempo maior para que os palpites sejam enviados. O objetivo aqui é, basicamente, promover a interação. Vale lembrar que não devem ser colocadas características que possam causar algo de negativo, é claro.

Detetive

Essa é outra prática que, apesar do nome conhecido, não é executada como o jogo tradicional. Trata-se de apresentar problemas comuns nas equipes da empresa, sem expôr ninguém ou ter conteúdos indevidos. Os participantes devem, então, sugerir formas de resolver essas questões, sendo que as melhores ideias serão premiadas.

Assim como a prática anterior, essa também pode ser realizada gradativamente, liberando um problema de cada vez. O objetivo aqui é estimular a colaboração, mesmo entre diferentes equipes e setores.

Quais são as tendências de gamificação nas organizações?

Agora que você já sabe o que é gamificação e conhece diversas vantagens da sua utilização, vamos encerrar mostrando um pouco de como ela já é empregada em algumas empresas. Confira ideias e técnicas utilizadas com clientes e com talentos nas organizações!

Accenture

Utilizando a gamificação, a Accenture começou a incentivar seus colaboradores a compartilharem conhecimentos entre si, a partir de blogs e documentos reutilizáveis, por exemplo. O objetivo era fortalecer uma cultura mais colaborativa, sendo que os profissionais são reconhecidos por esse tipo de conduta.

NTT

A NTT utiliza a gamificação para encontrar e estimular líderes. Em um jogo chamado de “samurai”, os participantes respondem perguntas e se unem em uma missão, mostrando suas habilidades para liderar.

Phoenix Software

A Phoenix Software emprega a gamificação como parte de seus processos seletivos. Uma das etapas consiste em deixar os candidatos, durante uma hora, em uma sala com colaboradores da empresa. Assim, é possível conhecer mais sobre eles e reunir informações relevantes para a seleção.

Starbucks

Para mostrar como a gamificação também pode ser aplicada com clientes, vale citar o exemplo da Starbucks. A empresa criou o programa de fidelidade My Starbucks Rewards, onde as pessoas podem se tornar membros e acumular estrelas e pontos.

Os benefícios para os participantes vêm na forma de comidas e bebidas grátis, entre outras exclusividades, como bebidas de aniversário. A medida que mais pontos são acumulados, mais vantagens se tem.

Nike

A partir de ferramentas como o Nike + Fuelband, a empresa permite aos clientes acompanharem e realizarem seu rastreamento atlético, além de possibilitar que os usuários compartilhem seu desenvolvimento em suas redes sociais e acumulem recompensas, como insígnias, pelo seu progresso.

Isso gera estímulo para que os produtos da marca continuem sendo consumidos, além de fornecer informações sobre os participantes que serão úteis para campanhas de marketing.

Target

Com uma ferramenta voltada para o público infantil, a Target leva aos usuários um jogo em 3D, em que eles podem navegar por uma Fábrica de Brinquedos. As crianças podem, então, montar sua lista de desejos e enviá-la ao Papai Noel. Assim, os pais descobrem o que os filhos querem ganhar de Natal e ainda compartilham com outros parentes.

M&M

A M&M já utilizou a gamificação para promover um novo sabor. Em um jogo disponibilizado na página do Facebook, os usuários tinham que encontrar um Pretzel entre vários dos tradicionais docinhos coloridos.

LinkedIn

Trabalhando com a Flipkart, na Índia, o LinkedIn organizou uma prática chamada de Hackathon de Recrutamento, que consistiu em unir as equipes em um projeto desafiador, mas divertido, em que se buscava preencher vagas em aberto em um curto período de tempo.

Cisco

Entre suas práticas de gamificação, a Cisco começou a utilizar essa metodologia em seus treinamentos de mídias sociais. Os colaboradores de diferentes áreas aprenderam, assim, a usar redes sociais, como o Twitter e o LinkedIn, para ajudar em suas respectivas tarefas.

Profissionais de marketing, por exemplo, passaram a utilizá-las para se comunicar com clientes. O progresso no uso desse tipo de ferramenta ainda é medido e reconhecido por meio de certificados.

Como podemos ver, a gamificação nas empresas tem múltiplas possibilidades de uso. É interessante lembrar que, inclusive, ela é capaz de tocar em elementos da nossa memória afetiva, afinal, os jogos e suas estratégias, eletrônicos ou não, fizeram parte da nossa infância.

O lúdico é, portanto, capaz de nos cativar e tornar certas situações mais leves e agradáveis, mas também favorece diferentes habilidades e contribui para a nossa produtividade — se utilizado da maneira certa.

É importante ressaltar, por fim, que você pode contar com a ajuda de profissionais com mais conhecimento do assunto para levar a gamificação ao seu negócio. Eles podem orientar na escolha das técnicas ou na própria aplicação. Seja como for, faça suas escolhas com atenção e planeje bem essas práticas, para usufruir melhor de seus resultados.

O que você achou deste guia sobre a gamificação nas empresas? Sua organização já utilizou alguma das técnicas citadas aqui? Se este conteúdo ajudou, não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais e discutir essas ideias com seus seguidores!

Lembre-se de compartilhar este artigo!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Receba as últimas novidades sobre treinamentos e desenvolvimento humano

tudo sobre desenvolvimento de pessoas, capacitação & RH.

Mais do Portal

impacto socio econômica das organizações na sociedade

O impacto das organizações na sociedade

Comumente devido ao dia dia esquecemos da importância que uma empresa tem na sociedade. Você que possui uma empresa, já parou para pensar do papel importantíssimo que você está desempenhando? Indiferente do tamanho da sua empresa, ela exerce um papel fundamental na sociedade.

Conheça um de nossos treinamentos pela voz do nosso CEO.
Vídeo online sem interação humana.

Assistir agora

Fique por dentro dos próximos treinamentos, webinários ao vivo e programe-se para participar de algum deles no melhor momento para você.

Agendar

Quer mais informações?
Descubra como o Google, Facebook, Bradesco, Syngenta e outros clientes tem investido na formação de seus líderes e como você pode trazer nossas metodologias para sua empresa.

Solicitar contato