Carreira

O que é e como funciona a pirâmide de aprendizagem de William Glasser?

Equipe Aspectum
26/11/2021
O que é e como funciona a pirâmide de aprendizagem de William Glasser?

Os treinamentos corporativos são uma importante ferramenta para melhorar os resultados de desempenho obtidos pelo setor de recursos humanos. O que a pirâmide de aprendizagem tem a ver com sua rotina de capacitações para os colaboradores de uma empresa? Bem, ao planejar esses treinamentos, você pode utilizar várias estratégias, como fornecer materiais escritos, organizar palestras ou planejar atividades práticas.

Mas como saber quais estratégias escolher? Em linhas gerais, de acordo com a pirâmide de aprendizagem, podemos concluir que mecanismos de aquisição de conhecimento que incluam um maior envolvimento ativo do público tendem a ser mais efetivos no que se refere à assimilação do conteúdo. Dessa forma, vale a pena pensar em como conseguir essa participação ativa durante as capacitações.

Quer entender melhor esse assunto? Continue lendo este texto!

O que é a pirâmide de aprendizagem

A pirâmide de aprendizagem é atribuída frequentemente ao psiquiatra americano William Glasser a partir de uma série de estudos que tratavam de motivação e aprendizado. No entanto, é difícil encontrar um estudo original do autor que aborde o tema.

William Glasser - de The New York Times

Segundo a versão difundida sobre a origem da pirâmide, todas as pessoas têm algum grau de motivação para aprender no seu cotidiano. Além disso, atitudes repressoras não ajudariam a assimilar conteúdos novos — pelo contrário, teriam um efeito prejudicial. O ato de aprender seria uma escolha pessoal interna, que estaria associada à satisfação de cinco necessidades básicas: sobrevivência, pertencimento ao grupo, liberdade, poder e diversão.

É possível concluir, a partir disso, que um ensino fundamentado apenas em atividades mecânicas e decorativas não será efetivo, pois não contribui para atender a essas necessidades. Por outro lado, atividades de leitura, observação e escuta contribuem, em conjunto, para que a memorização de um conteúdo seja mais efetiva. Outros elementos fundamentais para completar a capacidade de aprendizado seriam os processos de discutir o assunto, praticar o tema e, por fim, ensinar o tópico para outra pessoa.

Como funciona a pirâmide de aprendizado

A pirâmide de aprendizado organiza os processos de estudo de acordo com a sua efetividade para a retenção de conteúdo. Dessa forma, no topo da estrutura ficam aqueles processos em que a eficácia é menor e, na base da pirâmide, aqueles em que a eficácia é maior. Assim, as porcentagens de retenção de conteúdo para cada processo de aquisição do conhecimento seriam as seguintes:

  • ler: 10%;
  • escutar: 20%;
  • ver: 30%;
  • ver e ouvir: 50%;
  • discutir com outros: 70%;
  • fazer: 80%;
  • ensinar: 95%.

Apenas ler, apenas escutar e apenas ver são consideradas metodologias passivas de aprendizado e têm uma eficiência relativamente baixa. Por outro lado, ver e ouvir ao mesmo tempo é a primeira técnica mais efetiva de aprendizagem. Isso acontece porque ela está associada a uma maior compreensão do assunto quando o conteúdo é transmitido oralmente e demonstrado visualmente, de forma simultânea. Por isso, é uma boa ideia estruturar palestras para os colaboradores que incluam uma ilustração visual do que está sendo dito.

A discussão do tema com outros fomenta a interação entre os membros da equipe de forma colaborativa, e exige que os indivíduos se apropriem dos conceitos abordados para que consigam argumentar com os demais. Dessa forma, a retenção do conteúdo aumenta consideravelmente em relação a uma metodologia passiva de aprendizagem.

Praticar exige que a pessoa raciocine sobre o assunto e suas implicações, o que favorece um aprofundamento na compreensão do conteúdo. Para ensinar a outros, esse aprofundamento precisa ser ainda maior, exigindo que o indivíduo domine o assunto a ponto de conseguir explicar e tirar dúvidas sobre ele. Com isso, a retenção é ainda mais eficiente.

Como aplicar esses conceitos nos treinamentos corporativos

Ao planejar os treinamentos de colaboradores na sua empresa, tenha em mente que as pessoas têm diferentes estilos de aprendizagem e que, além disso, metodologias ativas de ensino são sabidamente mais efetivas do que o uso isolado de metodologias passivas. Assim, mesmo que os números da estrutura conhecida como pirâmide de aprendizagem de William Glasser possam ser questionados, é consenso que introduzir elementos que estimulem a participação ativa do público favorece o aprendizado de todos.

A seguir, veja algumas sugestões para fazer com que seus treinamentos atinjam esse objetivo.

Incentive o uso da sala de aula invertida

Muitas vezes, pode ser uma excelente estratégia fornecer as informações chave para os objetivos de aprendizagem do treinamento antes do encontro entre o mediador de ensino e os colaboradores. Dessa forma, os colaboradores podem se familiarizar com os principais conceitos e retomar os conteúdos na sala de aula, utilizando-os para responder a perguntas, participar de debates ou até mesmo explicá-los para os colegas.

Use a tecnologia a favor do aprendizado

Existem softwares que permitem uma maior interação entre o usuário e os assuntos tratados. Assim, pesquise, dentro do seu ramo de atuação, quais seriam as possibilidades mais interessantes. Dependendo do assunto do treinamento, pode ser possível encontrar soluções prontas no mercado. Em outras situações, pode valer a pena desenvolver uma solução própria, adaptando ferramentas existentes ou criando ferramentas.

Aproveite os benefícios da gamificação

Gamificação vem do inglês gamification e significa utilizar elementos de jogos em outras situações, para engajar e motivar os participantes. Os jogos têm elementos que os tornam tão interessantes, como um sistema de pontuações, um objetivo claro e alcançável e um sistema de recompensas.

Usar esses elementos para tornar o ensino mais interativo é uma estratégia que pode melhorar o engajamento das equipes com os treinamentos e tornar o aprendizado mais efetivo. Além disso, pode melhorar o relacionamento entre os membros da equipe, que precisam ter uma boa interação, colaborando ou competindo de forma saudável, para concluir as atividades.

Conquiste com resultados

Conforme os treinamentos forem mais efetivos, com uma maior taxa de retenção e compreensão dos temas, o aprendizado vai se refletir em resultados melhores da equipe e na melhor produtividade da empresa. Dessa forma, será possível, inclusive, mensurar o sucesso dessas atividades. Esses dados vão fazer com que os colaboradores se sintam mais motivados para participar de treinamentos futuros, o que tem boas chances de melhorar ainda mais o rendimento deles nesses eventos.

Agora que você já leu sobre a pirâmide de aprendizagem de William Glasser, que tal colocar esse conhecimento em prática explicando para a gente o que achou desse conteúdo e tendo a oportunidade de debater com outras pessoas sobre o tema?

Fique informado ao assinar a Newsletter Aspectum

Obrigado! Seus dados foram recebidos com sucesso.
Oops! Algo deu errado. Favor tentar novamente.
Junte-se a milhares de pessoas que recebem dicas sobre crescimento humano, hábitos de alta performance, habilidades de diálogo e liderança de equipes.