Comunicação

Conflitos entre colegas de trabalho: como resolver?

Conflitos entre colegas de trabalho: como resolver?

Os conflitos entre colegas ocorrem em qualquer empresa. Quando as pessoas convivem por muito tempo, a discordância torna-se algo inevitável. Se as diferenças não são bem manejadas, porém, a carreira dos envolvidos é gravemente afetada, assim como a produtividade do negócio como um todo. Pensando nisso, hoje decidimos mostrar como lidar com conflitos na equipe de trabalho.

Existem algumas formas de acalmar os ânimos e até prevenir e evitar um conflito no âmbito profissional. Para isso, o gestor, como figura de liderança, deve ter algumas cartas na manga e desenvolver certas habilidades. Este artigo foi elaborado com o objetivo de trazer dicas e estratégias para esses momentos, evitando maiores problemas e melhorando o clima organizacional. Continue sua leitura e conheça as ações mais importantes!

Distancie os envolvidos para que eles se acalmem

Distanciar os envolvidos no conflito é o primeiro passo para solucionar o problema. Em algumas situações, as discussões podem se tornar verdadeiras agressões físicas — e queremos evitar isso. Sendo assim, logo que você identificar a existência de argumentações tóxicas, que não levarão a lugar algum, interfira de forma a mediar ou, até mesmo, com o único objetivo de encerrá-las.

O distanciamento a que nos referimos, em geral, é o verbal, quando apenas um pedido de "calma" é o suficiente. Em casos mais extremos, entretanto, deve-se separar fisicamente os membros da contenda. Afinal, quem não está envolvido consegue enxergar melhor que a discussão tomou rumos inesperados e que os ânimos já se encontram exaltados.

Converse separadamente com os envolvidos

Assim que o conflito é interrompido, tentar entender coletivamente o que aconteceu pode não ser tão eficiente. As emoções ainda estão muito afloradas e as pessoas vão se exaltar a qualquer palavra que a outra diga. Por isso, é interessante conversar com as partes de maneira separada, escutando cada indivíduo sem que isso gere outros embates.

Escute tudo que cada pessoa tem a dizer, de uma forma respeitosa e sem julgamentos. Assim, será mais fácil visualizar a situação como um todo e atuar de um modo mais justo. Além disso, outra ideia é aguardar alguns minutos após a discussão para iniciar tais conversas: primeiro, oriente que os envolvidos bebam água e parem um pouco para se acalmar. Dessa forma, os pensamentos estarão mais claros e organizados na hora de explicar.

Invista em uma boa comunicação com os colaboradores em conflito

Manter um diálogo saudável deveria ser uma dica óbvia, mas, infelizmente, diversas pessoas ainda têm muitas dificuldades para se comunicar acertadamente — aliás, é exatamente por isso que os conflitos se iniciam. Portanto, além de servir como uma medida profilática, manter uma boa comunicação também é uma atitude que afasta confrontos entre colegas.

Uma boa comunicação pode ser construída com algumas dicas de comportamento:

  • ouça o que as pessoas têm para falar;
  • tente sempre ser flexível;
  • evite ambiguidades, usando uma linguagem clara e direta;
  • argumente demonstrando empatia — tente se colocar no lugar do outro;
  • indique soluções e acordos para o conflito.

Com essas orientações, você media a situação de uma forma mais saudável.

Investigue as causas do conflito

Investigar as causas do conflito também é uma ação relevante, pois assim é possível encontrar a raíz do problema para encerrá-lo. Faz-se necessária uma avaliação dos comportamentos dos envolvidos, para entender se os confrontos são pessoais ou são apenas profissionais.

Interprete a postura dos conflitantes, escute-os com atenção e analise os fatos com empatia. Tudo isso é importante para entender o porquê da discussão. Vale lembrar, porém, que — a não ser em casos mais graves, como assédios ou agressões — a intenção aqui não é encontrar um culpado ou alguém para penalizar. Os conflitos são parte das relações humanas, então é preciso assertividade, acolhimento e profissionalismo para resolvê-los.

Mantenha a neutralidade e a imparcialidade

Ser neutro e imparcial não é a mais fácil das tarefas, principalmente quando se trata de conflitos entre colegas de trabalho. Nesse tipo de situação, nós naturalmente tendemos a defender o lado que mais se aproxima das nossas opiniões. Por isso, um bom líder deve ter a capacidade de dissociar as suas vivências e preconceitos pessoais, não deixando que influenciem nos casos concretos que vivenciará na empresa.

Nesse sentido, é essencial ouvir a opinião de todos os envolvidos sem fazer distinção, juízo de valor ou revelar preferências. Além disso, é crucial deixar claro que a companhia não pode sofrer prejuízos em decorrência de hostilidades e enfrentamentos interpessoais, sejam eles quais forem. Ao contrário: use as opiniões divergentes para avaliar pontos que necessitam ser mudados na empresa a fim de evitar a estagnação.

A opinião dos colaboradores pode ser um trunfo nas mãos de um gestor que sabe usá-la. Os conflitos apontam questões que a organização pode melhorar ou trabalhar, para criar uma empresa cada vez melhor. Se as brigas ocorrem por motivos religiosos, por exemplo, que tal promover ações para tratar da diversidade e incentivar o respeito às diferenças? Para chegar a tais soluções, a liderança não pode se comportar de forma não profissional.

Busque estabelecer um acordo entre os conflitantes

Agora que você já conseguiu acalmar os ânimos, já sabe as causas do conflito e comunicou-se com os interessados, é hora de buscar uma solução harmônica ou um acordo para o caso concreto. Geralmente, os acordos são necessários quando há divergências acerca do serviço em si, sendo importante ressaltar que a decisão não deve ser feita de forma unilateral por você, mas a partir da colaboração mútua dos colegas em conflito.

A participação dos colaboradores garante que todos possam sair mais satisfeitos do embate. Por isso, é extremamente produtivo estimular os envolvidos a propor soluções plausíveis e práticas. Aqui, uma conversa em conjunto já se mostra interessante, pois as pessoas já estarão mais calmas para interagir.

Ouça as propostas e tente ser apenas o mediador, avaliando o que cada um tem para contribuir com a solução. Afinal, ninguém melhor do que eles para encontrar a melhor conclusão, certo?

Incentive feedbacks diretos

Para conduzir a conversa em conjunto, uma boa ideia é incentivar o formato de feedbacks. Oriente aos envolvidos que expliquem seus pontos de vista, seus incômodos e problemas quanto ao outro de modo profissional, com respeito, sem insultos e sem ofensas.

Peça para que tentem explicar a situação com bons fundamentos, não apenas com críticas e julgamentos pessoais. Incentive também que escutem e tentem praticar a empatia. Isso é eficiente, principalmente, quando os motivos para os conflitos são apenas profissionais.

Com essa medida, será mais fácil enxergar com clareza, chegando a acordos e soluções satisfatórias. Esse tipo de comunicação, na verdade, pode ser incentivado na empresa de modo geral, mesmo antes de haver um embate. Assim, ao menos parte dos problemas serão resolvidos com maior profissionalismo e os conflitos serão reduzidos. Não estamos falando aqui de conversas padronizadas ou "automáticas", mas sim de incentivar a comunicação não violenta.

Observe o cenário após o conflito

Com todos os passos já praticados, é importante observar como ficou o clima organizacional após o ocorrido. Verifique se há efeitos permanecendo ao longo do tempo, como fofocas, intrigas ou outros atritos. Caso exista algum problema, é necessário avaliar a solução: quais medidas podem ajudar a melhorar a convivência dentro da equipe? Algumas opções são:

  • realizar treinamentos, workshops ou outras ações, caso hajam demandas de conscientização na equipe;
  • avaliar se existem outras causas para os conflitos entre os colegas. Talvez, a equipe não esteja satisfeita com as condições de trabalho ou esteja sobrecarregada, por exemplo, o que reflete em sua interação;
  • avaliar se a gestão é eficiente, se as funções estão claras e as tarefas são bem distribuídas, analisando se o fluxo de trabalho é saudável e bem organizado. Vale conferir, inclusive, se as metas da empresa são viáveis e realistas, pois isso impacta na sobrecarga e na pressão entre os colegas;
  • realocar funcionários, caso a convivência realmente não possa ser melhorada.

É preciso uma avaliação completa e profunda dessas situações, para não agir injustamente e não deixar de perceber alguma falha da empresa.

Contrate uma empresa especializada em gestão de conflitos

Agora que você já conhece várias maneiras de evitar e também pôr fim aos confrontos, é imprescindível que a empresa contrate um parceiro especialista na gestão de conflitos. Procure por uma companhia séria e que tenha renome na área, para que sejam realizados treinamentos comportamentais corporativos e melhoria da performance organizacional.

A abordagem oferecida no treinamento Conversas Cruciais, por exemplo, é extremamente eficaz e salutar para evitar conflitos. Com ela, é possível incentivar o diálogo e promover verdadeiras mudanças comportamentais nas relações profissionais.

Como você pôde perceber, manter a ordem e a harmonia em uma empresa, a princípio, não parece ser muito simples. No entanto, não se assuste! Com a adoção de algumas estratégias, fica bem mais fácil saber como lidar com conflitos na equipe de trabalho.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo! Se você quer saber mais sobre o assunto, confira agora nosso outro artigo, com seis técnicas que trarão mais resultados para a sua gestão de conflitos.

Fique informado ao assinar a Newsletter Aspectum

Obrigado! Seus dados foram recebidos com sucesso.
Oops! Algo deu errado. Favor tentar novamente.
Junte-se a milhares de pessoas que recebem dicas sobre crescimento humano, hábitos de alta performance, habilidades de diálogo e liderança de equipes.