Cultura Organizacional

10 perguntas e respostas sobre comportamento organizacional

É cada vez mais evidente o posicionamento das organizações a respeito do capital humano. Já é consenso que as pessoas são um dos principais ativos das corporações e as atitudes que cada membro de uma equipe apresenta no dia a dia de trabalho têm grande impacto no desempenho de qualquer empresa.

Elas afetam as relações interpessoais entre os colaboradores, o que consequentemente influencia nos resultados da organização. Daí a importância de se estudar o comportamento humano, individualmente e em equipe.

O comportamento organizacional funciona de maneira particular em cada empresa. Sua aplicação se dá a partir de metodologias, objetivos e crenças que são compartilhadas entre os membros da organização, com o objetivo de propiciar um ambiente de trabalho produtivo e saudável. Em outras palavras, trata-se de um estudo voltado a prever, explicar, entender e modificar o comportamento humano em um contexto organizacional e de trabalho.

Ainda está confuso em relação a como colocar isso em prática? Neste conteúdo, abordaremos as principais dúvidas sobre o assunto. Continue a leitura para saber mais!

  1. O que é comportamento organizacional?
  2. Quais são os objetivos do comportamento organizacional?
  3. Qual a importância do comportamento organizacional?
  4. Quais são os níveis de comportamento organizacional?
  5. Como o comportamento organizacional afeta as relações profissionais?
  6. Por que reforçar a cultura organizacional?
  7. Como funciona a ética da avaliação do comportamento organizacional?
  8. Como consolidar a cultura da organização?
  9. Como é feita a avaliação do comportamento organizacional?
  10. Quais são os resultados de um bom comportamento organizacional?

1. O que é comportamento organizacional?

O termo “comportamento organizacional” resulta da somatória dos comportamentos e atitudes de cada profissional que integra a estrutura de uma empresa. Assim, podemos afirmar que a individualidade é uma das categorias de estudo do comportamento na organização. Com base na ideia de que cada colaborador exerce influência sobre o conjunto, podem ser realizadas análises sobre como eles contribuem para a cultura da empresa.

Nesse aspecto, é feito o levantamento de todas as características e fatores que possam contribuir para os comportamentos do indivíduo, assim como para sua produtividade, motivações, habilidades e capacidades profissionais. O estudo individual visa mapear os fatores externos presentes na empresa que influenciam suas ações. É sempre possível aprofundar esses estudos, já que os comportamentos individuais, sociais e organizacionais são altamente complexos.

Enquanto a organização permanece estudando as atitudes da sua equipe, sempre encontrará novas questões a serem abordadas e mais pontos de aprimoramento. Dessa forma, é possível verificar o que pode ser desenvolvido para gerar um ambiente laboral mais harmonioso e humanizado.

Outra vantagem de entender o comportamento individual é a gestão da quantidade e complexidade das responsabilidades delegadas para cada membro da equipe. Desse modo, elas podem ser distribuídas com mais eficiência, levando em conta as capacidades e talentos de cada um.

2. Quais são os objetivos do comportamento organizacional?

Toda organização tem a necessidade de estar conectada com as condutas que viabilizam seu desenvolvimento e o alcance dos resultados planejados. Nesse contexto, encontrar ou manter profissionais alinhados com a cultura da empresa são, geralmente, práticas desafiadoras. Logo, o capital humano é um fator que serve como base para o desenvolvimento de qualquer empresa.

Consequentemente, o comportamento organizacional é um elemento-chave para garantir um clima saudável e produtivo. As empresas esperam colaboradores preparados para preencher diversos requisitos. Por outro, a formação e a bagagem do profissional nem sempre vem ao encontro da realidade empresarial, o que cria uma lacuna ainda maior entre esses dois universos.

Diante desse cenário, o impacto do comportamento das pessoas nas empresas é significativo sob vários aspectos. Por isso, requer um trabalho de pesquisa constante. Basicamente, busca-se, por meio de pesquisas e estudos, entender como se dá o desenvolvimento e a interação das pessoas dentro da organização. A partir daí, compreender as razões e os motivos do comportamento da equipe.

Quando a organização conhece os motivos que levam o seu time a ter um determinado tipo de comportamento, tem uma ferramenta valiosa a seu favor. Isso porque, a partir desse conhecimento, ela consegue fazer projeções sobre como os colaboradores podem cultivar e desenvolver certas habilidades profissionais. Consequentemente, isso permite uma possibilidade maior de controle das atividades humanas no ambiente de trabalho.

O domínio desses conhecimentos, permite que a organização avalie o seu ambiente de forma mais objetiva. Além disso, possibilita as análises das suas próprias políticas e de que maneira elas exercem influência sobre os profissionais que nela atuam. Por outro lado, também pode verificar como os colaboradores influenciam na cultura organizacional, mapeando possíveis soluções e resultados.

3. Qual a importância do comportamento organizacional?     

Cada organização tem suas metas e seus objetivos específicos a serem alcançados. Entretanto, um ponto comum e possível de identificar nas empresas é o conceito de que gerar um ambiente saudável e produtivo é fator fundamental para que negócios sejam mantidos e a imagem da empresa seja consolidada.

Cuidar do relacionamento com os diferentes atores que contribuem para a existência da corporação é uma estratégia importante. Ter um olhar diferenciado para os profissionais que nela trabalham faz toda a diferença.

A aplicação dos estudos e técnicas que compõem o comportamento organizacional permite às empresas entenderem três questões importantes:

  • as razões pelas quais os colaboradores se comportam individualmente e em equipe;
  • de que forma a cultura da organização influencia esses comportamentos;
  • e quais as consequências disso.

Com essas informações valiosas, as empresas podem agir de maneira antecipada, buscando o constante desenvolvimento da cultura organizacional, para melhorar os procedimentos internos. Concomitantemente, pode prever e identificar comportamentos capazes de prejudicar o ambiente de trabalho, atuando de forma a extinguir cada um deles. Dessa forma, cria-se um ambiente organizacional harmonioso, saudável e pautado pelo profissionalismo.  

4. Quais são os níveis de comportamento organizacional?

Com a finalidade de compreender melhor os comportamentos e as suas motivações dentro das organizações, pesquisadores da VitalSmarts o fracionaram em três níveis distintos. A seguir, mostraremos mais detalhes sobre cada um deles. Veja como aplicá-los em sua empresa para elevar a performance.

Individual

É a área de estudo sobre os fundamentos na conduta de cada indivíduo e como isso influencia o ambiente ao seu redor. Abrange as atitudes, valores e percepções de cada colaborador. Além disso, também se dedica ao papel das emoções e da personalidade no comportamento organizacional. A forma como é feito o processo decisório e as motivações pessoais também influenciam esse nível. Isso ajuda a entender melhor o perfil do profissional e como ele se encaixa na dinâmica da empresa.

Social

É o nível em que são ponderados os modelos de comportamento em equipe. Em outras palavras, é quando são abordados temas pertinentes às tomadas de decisões e à comunicação dos grupos. Essa modalidade também abrange confiança, política, poder, dinâmicas de liderança, resolução de conflitos e sistemas de negociações entre os colaboradores.

A partir dessas avaliações, você pode compreender melhor o papel social de cada um dentro do grupo e como eles se comportam em diferentes situações.

Organizacional

É o nível em que o comportamento organizacional é abordado de maneira mais panorâmica, a fim de entender como ele pode ser afetado por variadas dimensões da empresa. Nele, são abordados temas como práticas de recursos humanos e políticas corporativas. O objetivo principal é estudar como tais fatores podem influenciar a cultura organizacional e o comportamento dos colaboradores.

5. Como o comportamento organizacional afeta as relações profissionais?

Pela perspectiva dos relacionamentos profissionais, o comportamento organizacional tem uma função de destaque em todos os aspectos em que está inserido. Do ponto de vista individual, é ligado à personalidade e às experiências subjetivas vivenciadas por cada um, com destaque para a percepção, a motivação, o aprendizado e a capacidade de solucionar os principais desafios corporativos.

Já em relação ao âmbito social, podemos afirmar que, quando em grupo, as pessoas desenvolvem uma identidade coletiva que normalmente supera a face individual. Ou seja, existem questões grupais que alteram o comportamento de cada um, criando códigos de conduta ligados a determinados ambientes sociais.

Vale mencionar, ainda, que há o ponto de vista da empresa. Com toda a sua cultura, objetivos e valores, ela molda e é moldada — o modelo de gestão, o sistema hierárquico, os treinamentos e até mesmo a influência de lideranças são afetados pelo comportamento organizacional.

Por mais que o negócio tenha um papel ativo na regulação das atitudes, aquilo que os membros da equipe pensam e fazem ainda é um fator central para o comportamento geral da organização. Dessa forma, é correto afirmar que ele tem um papel decisivo nas relações profissionais, gerando consequências diretas nos resultados da empresa, como:

  • rotatividade de colaboradores;
  • qualidade do relacionamento entre equipes e líderes;
  • saúde ocupacional;
  • capacidade de inovação;
  • produtividade;
  • criatividade;
  • satisfação pessoal e profissional;
  • qualidade do relacionamento com o cliente.

Todos esses aspectos são desenvolvidos e modificados com base no comportamento organizacional, somado às condições de trabalho oferecidas pela empresa.

6. Por que reforçar a cultura organizacional?

Empresas são compostas por metodologias de trabalho, processos operacionais, equipamentos, capital financeiro e — acima de tudo — pessoas. Os colaboradores são tão ou mais importantes quanto os insumos de produção, produtos ou serviços comercializados. Sem eles, a empresa simplesmente não funciona e, por isso, é imprescindível analisar, estudar e compreender o comportamento organizacional.

Cada colaborador contribui diretamente para que o trabalho seja desenvolvido com sucesso. Tanto a conduta do funcionário quanto a atitude dos gestores têm influência no andamento e desenvolvimento da organização. Como sabemos, o modo de pensar e agir de cada um exerce influência sobre variados fatores. Por exemplo:

  • a motivação;
  • a construção de um ambiente saudável;
  • a qualidade das tarefas realizadas;
  • e a produtividade.

Um profissional com comportamentos inadequados pode gerar resultados menos relevantes ou até mesmo negativos, com grandes impactos no desempenho coletivo. O que queremos dizer é que posturas nocivas costumam aumentar o estresse e afetar a produtividade de todos no trabalho. Consequentemente, pode ocorrer um prejuízo nos resultados organizacionais como um todo. Além disso, a competitividade no meio empresarial é cada vez maior e isso não é novidade, concorda?

Dessa forma, é fundamental ter colaboradores que vistam a camisa da organização, que estejam constantemente motivados, engajados para gerar os resultados esperados. No entanto, para que isso aconteça é necessário que a empresa promova iniciativas para melhorar as interações profissionais, por meio de incentivos, de treinamentos e da reeducação contínua de seus valores e princípios.

7. Como funciona a ética da avaliação do comportamento organizacional?

Uma das principais características do profissional atual é que ele busca relações de trabalho mais horizontais, em que cada colaborador tenha sua relevância e sua responsabilidade dentro da organização. Porém, uma parte da avaliação e regulação do comportamento organizacional é justamente fazer com que o indivíduo mude algumas atitudes, o que pode gerar certos problemas posteriores. 

Antes, durante e após qualquer análise, é importante ter alguns princípios éticos em mente para promover mudanças saudáveis e positivas dentro da sua equipe. Em alguns casos, uma mudança que pareça mais rentável para o negócio pode ter consequências negativas no comportamento dos seus colaboradores no médio e longo prazo.

8. Como consolidar a cultura organizacional?

Toda empresa tem uma cultura organizacional, mesmo que ela não reflita o comportamento desejado. Portanto, é essencial incentivar os valores que você deseja que sejam parte fundamental do negócio. Veja agora como solidificar a cultura organizacional na sua organização.

Incentive-a entre os colaboradores

Disseminar o comportamento organizacional é uma estratégia para melhorar hábitos dentro da empresa e, consequentemente, encantar o cliente interno. Portanto, você precisa engajar cada colaborador. Quando os hábitos já estão enraizados, pode ser um pouco complicado mudá-los. Afinal, por que o colaborador mudaria um comportamento que já tem há anos e o percebe em todas as instâncias da empresa?

Portanto, planeje ações que mostrem como a mudança vai trazer benefícios para todos os trabalhadores. No planejamento, crie ações que visem a conscientização das equipes sobre a importância de um bom comportamento organizacional no dia a dia. Palestras, workshops e meios de comunicação interna vão nutrir e incentivar esses novos hábitos entre os colaboradores.

Comece pelo líder

O líder deve refletir o comportamento que ele deseja que os colaboradores tenham. Gestores distantes, que não se comprometem com horários e projetos, destratam equipes e acabam por exigir altíssima carga de trabalho, consequentemente, geram resultados terríveis para o clima organizacional da empresa. Ninguém se sentirá incentivado a seguir um bom comportamento que não seja percebido em todos os segmentos do negócio.

Considere a opinião do colaborador

Cultura é o conjunto de hábitos de um determinado local, portanto influencia e é influenciada por todos os envolvidos. Considere a opinião e as críticas do colaborador para que, assim, ele tenha disposição de disseminar o comportamento desejado pela empresa.

Faça enquetes e questionários periodicamente e, sempre ao final de uma ação, pergunte aos colaboradores o que eles acharam. Use as ferramentas de comunicação interna para ter esse retorno. Também mantenha o departamento de recursos humanos sempre à disposição para ouvir a opinião de cada colaborador.

9. Como é feita a avaliação do comportamento organizacional?

A condução dessa análise pode tomar diversas formas dentro da sua empresa, variando de acordo com o seu perfil, com o tipo de comportamento que se deseja identificar, entre outros fatores. Conhecer os diferentes métodos e suas aplicações dará bem mais flexibilidade para realizar o processo e obter melhores resultados. Algumas ferramentas comuns de avaliação utilizadas nesse contexto são:

  • entrevistas individuais;
  • testes psicológicos;
  • observações do dia a dia;
  • relatórios e questionários objetivos.

Estude cada uma delas e experimente um pouco com suas aplicações. Logo você se sentirá mais confortável para tirar conclusões com base nesses recursos. É essencial acompanhar de perto essa movimentação para a mudança de comportamento na empresa. Medir uma vez o comportamento organizacional é entender também fatores psicológicos dos relacionamentos entre os colaboradores e a empresa.

Embora o profissional de recursos humanos disponha de várias ferramentas para aferir essas impressões, a mais importante e eficiente medida continua sendo a pesquisa. Ela é uma ferramenta para levantar as necessidades das equipes. Você consegue apurar pontos fortes, fracos, expectativas e frustrações dentro da empresa.

É essencial, claro, que o profissional perceba mudanças a partir dos seus relatos. Não adianta coletar informações e não colocar o que é dito em prática para aperfeiçoar o comportamento da empresa com o colaborador. Outro fator importante da pesquisa organizacional é que, implicitamente, a empresa está dizendo que quer ouvir as equipes.

É muito mais fácil fazer o colaborador falar quando você se dispõe a ouvi-lo. Esse trabalho é feito constantemente. As necessidades e problemas mudam com o tempo. Uma ótima ferramenta para avaliar o comportamento individual é o feedback 360. Além de analisar o desempenho profissional do colaborador, ela é capaz de mensurar o comportamento coletivo, incluindo questões éticas dentro do ambiente de trabalho.

Um fator positivo do feedback 360 é contar com a opinião não só do gestor, mas dos colegas de equipe, do fornecedor, cliente e do próprio colaborador sobre seu desempenho. Como é uma avaliação em grupo, você tem uma noção muito mais precisa sobre o comportamento do colaborador.

10. Quais são os resultados de um bom comportamento organizacional?

Claro que a execução desses processos de avaliação e todo o esforço para influenciar o comportamento dos colaboradores na empresa não é sem propósito. Com a melhor adequação de cada profissional ao ambiente de trabalho, é possível obter diversas vantagens, principalmente no que diz respeito à cultura organizacional. Com um ambiente de trabalho mais positivo e bem coordenado, você logo verá como o desempenho geral dos seus colaboradores tende a aumentar.

Como você pôde conferir, o comportamento organizacional é resultado de um conjunto de fatores. Os aspectos e características pessoais de cada colaborador são fundamentais, já que influenciam na forma como cada membro age e interage com seus colegas de trabalho, clientes e gestores. Entender essa dinâmica é fundamental para garantir um ambiente mais produtivo, harmonizado e humanizado.

Este artigo contribuiu para saber mais sobre o assunto? Então, aproveite e entre em contato para saber mais!

Fique informado ao assinar a Newsletter Aspectum

Obrigado! Seus dados foram recebidos com sucesso.
Oops! Algo deu errado. Favor tentar novamente.
Junte-se a milhares de pessoas que recebem dicas sobre crescimento humano, hábitos de alta performance, habilidades de diálogo e liderança de equipes.