Carreira

Características de uma pessoa rasa

Em qualquer organização, projeto ou atividade é muito importante contar com pessoas competentes para atingir bons resultados. Ter nos times de trabalho talentos com amplo conhecimento e posicionamento profissional bem-definidos é um dos segredos para se destacar entre a concorrência.

No entanto, muitos colaboradores têm dificuldade em assumir um comportamento satisfatório no ambiente de trabalho, se tornando, ainda que por um momento somente possivelmente, profissionais rasos e, com o tempo, inúteis para os propósitos do empreendimento. Para que se consiga evitar ou mesmo mudar essa situação, preparamos este guia para acelerar a identificação de um colega de trabalho, liderado ou mesmo que você leitor, esteja percorrendo este caminho que não agrega para as organizações e o mundo.

Confira as top principais características de uma pessoa rasa para tentar identificar se existe alguma na sua equipe, e depois, vamos entender quais são os principais impactos que isso causa para um grupo, e, finalmente, como pode-se contribuir para evitar que isso aconteça. Vamos lá?

Quais são as características de uma pessoa rasa?

Nível de dedicação baixo frente ao muito que sabem

Uma pessoa rasa é facilmente identificada pelo nível de dedicação que ela tem por uma determinada atividade ou conhecimento, por exemplo. Sabe aqueles indivíduos que entendem muito de quase tudo, mas que dificilmente formam uma imagem de valor? Eles são os típicos profissionais rasos.

Autoafirmação em demasia - quase sempre equivocadamente - de maneira intimidada

Pessoas que vivem afirmando em demasiado que "sabem o que estão fazendo" ou que não sabem trabalhar com a colaboração dos outros já merecem um sinal de alerta. Um profissional que conhece em profundidade aquilo com o que trabalha não se intimida com o conhecimento externo, pelo contrário, se anima para trocar saberes.

Dificuldade em aceitar erros próprios

Além disso, esses profissionais mais rasos têm bastante dificuldade em aceitar seus erros. Eles acreditam que as pessoas não conseguem reconhecer a sua autenticidade e talentos, por isso não dão valor para o que próprio produzem ou quando recebem feedbacks. Isso faz com que acabem se passando por "mal compreendidos".

Violadores que driblam as regras

Outro sinal que merece ser destacado é que uma pessoa rasa está sempre dando um jeitinho em tudo. Ela consegue driblar prazos, contornar procedimentos e sempre achando uma maneira de fazer as coisas de uma forma malandra. Em geral, isso acontece porque não têm habilidade ou capacidade de seguir as regras.

Falta de foco e supervalorização da imagem alheia

Como seu conhecimento está pulverizado em áreas distintas, eles não conseguem se dedicar exclusivamente a uma coisa até se tornarem verdadeiramente bons nela. Por isso, seu conhecimento não gera valor, já que eles valorizam mais a imagem que o conteúdo.

Autossabotagem quando em prova e autoritarismo

Essas pessoas geralmente se limitam a funções operacionais ou àquelas que não têm muita relevância porque, quando são colocados à prova, se sabotam e dificilmente inspiram outras pessoas. Quando ascendem na carreira, tendem a se tornar os chefes mandões, nunca líderes humanizados.

Até que esses tipos de características sejam reconhecidos, é impossível que pessoas rasas passem a trabalhar seu potencial e se permitam ir mais fundo. Com isso posto, é importante que pessoas em estado superficial tenham a ajuda de alguém.

Como pessoas rasas interferem na empresa?

Profissionais assim não conseguem se desenvolver e melhorar porque acreditam que aquele conhecimento nato e intuitivo com o qual nasceram é o máximo que podem alcançar. Para eles, são ótimos assim e, ainda que não sejam, não têm por que tentar melhorar.

Isso acaba interferindo em toda a equipe, como você verá a seguir.

Atrasam a equipe

Como não estão dispostos a melhorar as suas habilidades e competências, esses profissionais podem ficar defasados, lentos e prejudiciais para os prazos dos times. Para ajudar, acreditam que são superiores aos prazos e que podem sempre dar um jeito de entregar aquele relatório depois da data. Em muitos casos, isso resulta em perdas significativas para o time.

Prejudicam relacionamentos interpessoais

Não é difícil prever que uma pessoa que prejudica o coletivo acaba colecionando problemas de relacionamento e conflitos interpessoais, não é mesmo? Não se importar muito com os colegas é uma das características de uma pessoa rasa e, por isso, o clima no ambiente de trabalho também pode ficar bem pesado, aumentando a insatisfação de todos.

Diminuem a qualidade das entregas

Pessoas rasas estão sempre arriscando a qualidade das entregas do trabalho de todos. Por mais que todos os outros integrantes de uma equipe promovam um desempenho excepcional, alguém que não está comprometido pode colocar tudo a perder fazendo corpo mole ou nem sequer conseguindo acompanhar a complexidade de uma atividade.

Atrapalham a evolução pessoal

Uma pessoa rasa não prejudica apenas à empresa e aos outros, mas também a si mesma. Ela não consegue identificar seus erros e reconhecer sua necessidade de melhorar, logo, fica sempre estagnada, como se fosse uma pedra no meio do caminho, trancando o fluxo. E, como ninguém quer um profissional assim, eles acabam perdendo oportunidades incríveis.

Qual é o papel do líder para evitar que profissionais rasos causem prejuízos?

Infelizmente, esse tipo de profissional ainda é muito presente dentro das organizações. Mas simplesmente descartar pessoas em estado raso não é uma opção razoável em um primeiro momento. Em um papel de liderança, sua função é tentar trabalhá-las para que descubram e atinjam potencial humano.

Ajudar a definir objetivos

Uma primeira dica é sentar e conversar sobre os planos futuros desse profissional. O que ele quer para a vida profissional dele? E para a pessoal? Ajude-o a transcrever isso em forma de objetivos, com prazos, metas e ações que deverão ser tomadas para alcançar isso. Se ele quer ser promovido para supervisor, por exemplo, detalhe quais são os resultados que ele deve entregar e que capacitações precisa fazer para tanto.

Encontrar uma motivação

Apesar de motivação ser algo pessoal, ela pode ser estimulada. É ela que faz com que uma pessoa levante da cadeira e faça alguma coisa por si mesma. Portanto, para uma pessoa rasa se aprofundar em algo, é preciso que ela tenha uma razão clara para isso, que pode ser ganhar um aumento, ter as férias adiantadas ou realizar um sonho pessoal. Contribua para que o profissional encontre a dele.

Trabalhar a autoconfiança

Uma pessoa rasa não consegue confiar em si mesma porque, no fundo, ela sabe que contorna as situações por não ser capaz de "atacá-las" de frente. Sendo assim, ajude o profissional a realizar uma análise SWOT de si mesmo, reconhecendo seus potenciais e trabalhando suas fraquezas. Isso vai fazer ele ter um norte de por onde começar a se sentir mais forte e confiante.

Invistir na capacitação

Para que um colaborador adquira algumas competências, muitas vezes, é preciso dar aquele empurrãozinho. Treinamentos de ordem comportamental são muito úteis para isso. Portanto, considere investir em cursos de autogestão, administração do tempo, inteligência emocional e liderança para esses indivíduos. Dentro desses temas eles podem encontrar respostas para muitas questões pessoais que afetam seu trabalho.

Agora que você já sabe tudo sobre pessoas rasas, pode ficar de olho nos profissionais da sua equipe. Então, que tal ajudar outros líderes a resolverem esse problema e talvez gerar algum insight para profissionais que estão agindo de forma rasa? Compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais!

Fique informado ao assinar a Newsletter Aspectum

Obrigado! Seus dados foram recebidos com sucesso.
Oops! Algo deu errado. Favor tentar novamente.
Junte-se a milhares de pessoas que recebem dicas sobre crescimento humano, hábitos de alta performance, habilidades de diálogo e liderança de equipes.