Cultura Organizacional

Microlearning: o que é, benefícios, importância e como utilizar esta ferramenta de aprendizado

Equipe Aspectum
26/11/2021
Microlearning: o que é, benefícios, importância e como utilizar esta ferramenta de aprendizado

Neste mundo profundamente conectado em que vivemos em que a tecnologia continua a transformar os cenários à nossa volta, somos abordados a todo momento por um fluxo de informações altamente acelerado. Isso, muitas vezes, pode causar aquela sensação de uma constante necessidade de estar pronto para tudo. No contexto das organizações, a falta de tempo para se aprimorar, estudar o que se precisa ou aprender um novo conteúdo e na velocidade necessária para acompanhar as demandas do mercado de trabalho — cada vez mais exigente e competitivo — tem sido um obstáculo para muitos profissionais.

Essa realidade é mais comum do que se possa imaginar. Manter os colaboradores engajados em treinamentos pode ser um grande desafio para as empresas. Nesse sentido, para liberar as barreiras que a escassez de tempo e a vida corrida provocam, é que o microlearning entra em ação. Também chamado de cápsulas de conhecimento, pílulas, pockets ou nuggets essa metodologia pode oferecer muitos benefícios para o seu time e é sobre isso que vamos tratar neste artigo.

Quer saber mais sobre como oferecer as melhores experiências para sua equipe ao disponibilizar conteúdos educacionais? Então este post é para você! Continue a leitura para descobrir como esse método de ensino pode agregar valor aos treinamentos.

1. O que é microlearning?

Podemos concordar que, nos dias atuais, o tempo é algo realmente valioso, certo? Não diferente disso, o conhecimento é um ponto estratégico de sucesso — tanto para as empresas quanto para os profissionais. No caso das empresas, levar aprendizagem de forma mais rápida e eficiente para os colaboradores pode ser desafiador. Na perspectiva dos colaboradores, ter um momento para aprender e apoiar seu mindset de crescimento, sem prejudicar o desenvolvimento do trabalho faz toda a diferença. Afinal, para ambos os lados, nem sempre é possível e prático se ausentar da função para participar de um treinamento.

É justamente nesse cenário que o microlearning tem a melhor funcionalidade, pois se trata de uma metodologia de aprendizagem que, basicamente, disponibiliza conteúdo de curta duração. O foco desse método é a aprendizagem feita de maneira rápida e eficaz, dividindo um conteúdo extenso e profundo em curtos momentos de aprendizagem, que podem ser acessados a qualquer momento e de diferentes maneiras, permitindo a aquisição de um determinado conhecimento, sem afetar a produtividade e as demandas diárias de trabalho. Ele se encaixa perfeitamente quando um treinamento mais longo não funciona para a realidade da empresa ou para uma necessidade específica.

2. Quais são os benefícios do microlearning?

A carência atual de consumir conteúdos e informações de maneira rápida e eficiente, que permita a construção de um novo conhecimento ou até mesmo a resolução de uma dificuldade ou dúvida do trabalho, já nos permite identificar uma grande vantagem do microlearning. Afinal, esse método possibilita o acesso a conteúdos focados em uma necessidade específica, durante um curto espaço de tempo, com o menor impacto possível. Já imaginou poder trabalhar soft skills, habilidades gerenciais e outras possíveis lacunas de conhecimento sem prejudicar a rotina de trabalho? Excelente não é mesmo?

A partir da perspectiva da aprendizagem focada na utilidade e na prática, feita a partir de pílulas de conhecimento, devidamente desenhadas e planejadas, empresas e profissionais têm acesso a um determinado conteúdo de forma curta e direta. Contudo, o benefício não é só esse. As vantagens vão muito além do uso otimizado do tempo e da facilidade de utilizar o microlearning onde se insere melhor para influenciar diretamente a dinâmica do trabalho.

Verifique a seguir outros motivos que fazem do microlearning uma excelente estratégia para capacitar e manter a equipe disposta e afiada. Olhe só:

  • participantes mais motivados: quando expostos a conteúdos de curta duração, os colaboradores tendem a se engajar mais, principalmente nas capacitações em que a equipe não tem muito interesse de participar;
  • facilidade de acesso ao conteúdo: além da facilidade de acessar o conteúdo em diferentes formatos, é mais fácil e prático fazer uso desse suporte em diferentes locais e horários. É uma excelente opção para colaboradores em home office, por exemplo;
  • resolução de lacunas de conhecimento: é uma boa forma de resolver pequenas dúvidas do cotidiano do trabalho ou assimilar uma nova instrução;
  • metodologia simples e fácil de aplicar: por se tratar de conteúdo pequeno, que pode ser disponibilizado nos mais diversos formatos, é mais descomplicado de criar e atualizar;
  • baixo custo: a variedade de formatos disponíveis também permite que o investimento seja compatível com as possibilidades do momento;
  • ideal para o profissional moderno: permite uma aprendizagem inovadora, conectada com as necessidades concretas dos profissionais do século XXI.

Já deu para perceber que os benefícios de aplicar essa metodologia nos ambientes corporativos são muitos. Por essa razão, vale subdividi-los, considerando o que de fato faz sentido para o time e o que pode contribuir com as premissas da organização. Vejamos!

Vantagens para os colaboradores

Se considerarmos que o microlearning é uma solução para a ausência de tempo em que é possível produzir uma sessão de conhecimento em poucos minutos, a equipe tem a oportunidade de consumir um conteúdo e voltar logo para o trabalho.

Além disso, o micro aprendizado favorece o ensino personalizado, o que atende a necessidades específicas, evitando que o indivíduo perca seu tempo com um treinamento que não seja tão útil naquele momento. Fantástico não? É por isso que essa estratégia de aprendizagem atrai tanto o profissional interessado nas soluções tecnológicas relativas ao mercado de trabalho.

Vantagens para as organizações

Além dos benefícios já mencionados, principalmente nas estratégias de gestão da aprendizagem, as empresas que investem no microlearning conquistam agilidade na produção de conteúdo, economia de tempo e de recursos financeiros. Justamente por serem materiais produzidos em pequenas partes, quando há necessidade de atualização, o processo é mais simples.

Outro ponto positivo é a possibilidade de criar a própria curadoria de conteúdo ou uma biblioteca de microlearning. Tudo isso, contribui para aprimorar o potencial competitivo das organizações quando o assunto é a educação profissional.

3. Qual a sua importância para a educação corporativa?

As organizações que buscam se destacar no mercado sabem que investir em treinamento e capacitação é uma excelente estratégia que contribui para alcançar altos índices de produtividade. Sabem também que uma equipe bem treinada entrega melhores resultados e torna o ambiente corporativo mais propício ao surgimento de ideias inovadoras que contribuem para o sucesso do negócio. Em uma vida cada vez mais veloz, que exige de nós respostas e atitudes rápidas, reservar cinco ou dez minutos do horário de trabalho pode ser uma tática poderosa para o desenvolvimento de talentos.

Ainda na ideia de que o microlearning é uma metodologia que oferece aprendizado rápido, que permite a aplicação desse conhecimento logo em seguida, ele se torna um suporte de desempenho, ao permitir a aplicação do aprendizado no fluxo do trabalho. Além disso, de acordo com as especialistas Carla Torgerson e Sue Iannome, autoras do livro Designing Microlearning, outro benefício da metodologia é o fato de poder utilizar o tempo dos colaboradores com sabedoria para atender às suas necessidades. Em outras palavras, o microlearning pode ser um forte reforço no desenvolvimento da educação empresarial.

Confira, a seguir, algumas razões que fazem do microlearning uma excelente forma de treinamento:

  • economia de tempo: exatamente pela característica de ser em pílulas, gasta-se menos tempo na hora de produzir e também de consumir o conteúdo;
  • melhor custo-benefício: o investimento é necessário. Porém, as várias possibilidades de uso é que tornam o microlearning tão atrativo;
  • facilidade na logística: a gestão dos materiais educacionais é mais fácil porque a manutenção e a atualização são bem mais simples;
  • combustível para a trilha de aprendizagem: fica mais simples juntar informações para criar um conjunto contínuo de desenvolvimento de equipes;
  • mais criatividade: as possibilidades de produzir um material mais atrativo são inúmeras. Ninguém gosta de consumir um conteúdo chato;    
  • maior engajamento: um treinamento eficaz que vai direto ao ponto faz muito mais sentido e engaja melhor o participante;
  • mais autonomia: o colaborador tem a liberdade de acessar e consumir o conteúdo de forma que melhor o atender;
  • aumento da produtividade: se aquele conteúdo faz sentido e é utilizável, isso vai interferir positivamente na produtividade do time;
  • mais retenção: um conteúdo curto e objetivo, focado no desempenho, beneficia a assimilação mais rápida e eficaz;
  • foco no participante: leva em consideração o que ajuda e é útil para o colaborador.

4. Como colocar em prática o microlearning na empresa?

Preliminarmente, é importante ressaltar que fazer microlearning não é simplesmente dividir um conhecimento longo em pequenas partes. Microlearning é uma ação de treinamento que precisa ser devidamente planejada para ser objetiva, breve e direta, com foco na aplicação rápida. Além do mais, vale lembrar que, quando a nossa mente é exposta a um tipo de conteúdo muito extenso, partes da informação não são assimiladas. Exatamente, por isso, a fragmentação de conteúdo tem também o propósito de não sobrecarregar a carga cognitiva do colaborador.

Por isso, antes de começar, é preciso ter clareza sobre as necessidades dos profissionais e também da própria organização. Por exemplo: o microlearning pode ser usado para esclarecer uma dúvida ou sanar uma dificuldade que esteja atrapalhando a execução de uma determinada tarefa. A empresa pode usar essa metodologia para divulgar informações específicas que precisam ser assimiladas mais rapidamente, para corrigir um procedimento efetuado de maneira equivocada ou oferecer um treinamento de onboarding. Entretanto, vale lembrar que o microlearning não substitui outras formas de instrução.

Existem alguns passos práticos a serem seguidos para quem pretende implementar o microlearning na empresa. Veja a seguir:

  • identificar a persona: definir qual é o perfil do indivíduo que vai receber a microcápsula de conhecimento, adequar a linguagem, os recursos e os formatos de acordo com o perfil do público;
  • estabelecer o objetivo: listar quais competências o participante precisa desenvolver depois de ter acesso à pílula de conhecimento, ou seja, o que estará apto a realizar após a conclusão do microlearning;
  • mapear o conteúdo: não basta resumir um conteúdo. É preciso delimitar a informação que realmente seja indispensável para a ação de instrução, de acordo com o objetivo estabelecido;
  • escolher o formato: o importante é estar de acordo com o perfil do público, seja em forma de textos, vídeos, áudios, infográficos etc.

Basicamente, para que o microlearning funcione de fato, ele deve ser on demand privilegiando o protagonismo do colaborador, flexível e disponível quando e onde for melhor, útil em sua essência, afinal o colaborador aprende e já tem condições de aplicar o conhecimento adquirido.

Os pilares do microlearning

Ao optar pelo microlearning, independente do formato escolhido, é importante considerar os pilares que colaboram para que a ação de instrução seja assertiva e proporcione uma aprendizagem significativa para os colaboradores, afinal as pessoas estão vivendo uma crise de tempo. Embora saibam que é importante se manterem competitivas e aprenderem novas habilidades, não encontram tempo para se capacitar. Por trás de um treinamento que gera resultado efetivo existe um planejamento para sua execução e com o microlearning não é diferente. Listamos os pilares para que suas pílulas de conhecimento sejam realmente eficazes. Confira:

  • simplicidade: foque no simples e prepare um conteúdo objetivo, direto, com informações pequenas e pontuais;
  • tempo: pense em treinamentos de três a dez minutos no máximo. A curta duração é a principal característica desse método;
  • ação: lembre-se de oferecer um conteúdo autônomo e que possa ser colocado em prática imediatamente;
  • conectividade: disponibilize para o time algum suporte de desempenho para que eles possam conectar o que aprenderam com a rotina e com as atividades que executam ao longo do trabalho.

5. Como planejar um curso de microlearning?

Se você chegou até aqui, já compreendeu que o microlearning, por meio de pílulas de conhecimento, permite o consumo de informações de maneira autônoma, fazendo uso de mídia digital. Entretanto, ao planejar um treinamento de microlearning, é importante ter atenção a alguns pontos. O treinamento, além de ter curta duração, precisa ser de fácil entendimento e ser focado em um único objetivo. Logo, o primeiro passo é selecionar as informações de uma instrução mais longa que serão trabalhadas naquele curso. Uma dica valiosa é convidar colaboradores para contribuir com sugestões e até com a produção de conteúdo.

É preciso também ter cuidado com o tipo de linguagem utilizada e adequá-la ao público que terá acesso à ação de instrução. Afinal, se o propósito é uma transmissão de conhecimento objetiva e eficaz, nada mais coerente do que utilizar uma linguagem acessível. Definir o formato em que o conteúdo será disponibilizado é também um passo importante do planejamento. No parágrafo anterior, você viu os formatos mais usados. A seguir, vamos apresentar algumas ferramentas que podem ajudar na hora de produzir o conteúdo da forma mais adequada para o objetivo que se deseja atingir. Confira:

  • vídeos e tutoriais: existem várias opções. Uma delas é o Camtasia. O programa possui diferentes opções de edição e montagem de vídeos. Ele conta com um período de teste, mas depois é preciso pagar para continuar utilizando a ferramenta;
  • infográficos: as informações visuais são uma excelente maneira de trabalhar o microlearning. Uma opção é o Canva, uma plataforma de design gráfico gratuita que permite a criação de layouts próprios ou o uso de modelos prontos;
  • podcasts: você encontra muitas opções de ferramentas para edição de áudio. O Audacity tem a vantagem de ser livre e disponível para Windows, Linux e Mac. E para turbinar seu podcast, você pode usar o Freesound, uma ferramenta colaborativa com inúmeras sons de domínio público;
  • apresentações: esse formato é também uma boa opção para trabalhar o conhecimento pocket. O Prezi é um software que permite a criação de apresentações mais dinâmicas e conta com um plano básico gratuito.

6. O microlearning vai substituir as outras formas de instrução?

Suponhamos que você está pesquisando um profissional para tratar uma dor de dente. Você não escolheria um dentista que estudou basicamente por meio do microlearning, certo? A verdade é que esse método é realmente útil e se encaixa perfeitamente com a forma que utilizamos para consumir informações. Entretanto, existem conhecimentos que demandam conteúdos mais densos e formas mais longas e robustas de instrução. Em outras palavras, o microlearning é uma abordagem testada e comprovada para a aprendizagem rápida, prática e aplicada ao meio digital.

Portanto, optar pela instrução em microcápsulas não substitui outras formas de aprendizado. Com efeito, as pílulas de conhecimento são um suporte para formas mais longas de formação. É preciso ter em mente que a principal finalidade do microlearning é ensinar algo concreto, rapidamente, sem interromper o fluxo de trabalho ou sobrecarregar os colaboradores com uma carga exagerada de informações ou com cursos em que o profissional precisa se ausentar do trabalho, interferindo em suas atividades diárias. Além da falta de interesse, o resultado certamente ficará comprometido.

7. Como a Aspectum pode ajudar?

Como podemos constatar, o conteúdo do microlearning pode ser disseminado por vários meios. Contudo, é importante ter clareza sobre as reais necessidades de desempenho organizacional e sobre as melhores práticas para envolver integralmente os diferentes stakeholders. Esse é um fator fundamental para proporcionar um ambiente colaborativo, com disponibilidade de entender as necessidades da equipe, tornando-a cada vez mais comprometida com a entrega de resultados. Além dos recursos educacionais que sua empresa já tem, contar com plataformas educacionais pode ser uma estratégia interessante.

Por essa razão, quando a empresa conta com uma plataforma educacional especializada em treinamentos de alta performance, as ações de formação se tornam mais fáceis de criar e gerenciar. Consequentemente, a entrega de conteúdo de valor é certa. Se a sua empresa quer transformar treinamentos em resultados reais e efetivos, a Aspectum tem as melhores soluções para desenvolver o potencial humano do seu time, tornando as ações de formação mais acessíveis para que os colaboradores se envolvam profundamente com a aprendizagem, se tornando consequentemente mais engajados e integrados.

Microlearning requer estratégia

O microlearning são experiências de aprendizagem eficazes e se você chegou até aqui já sabe disso e entendeu também que, devido à brevidade de consumo do conteúdo disponibilizado, as informações são mais facilmente compreendidas ou assimiladas e aplicadas nas tarefas do dia a dia. Porém, é importante compreender que essa metodologia de ensino não funciona se o conteúdo for dividido em partes pequenas sem nenhum preparo.

Logo, ao utilizar as estratégias de microlearning pela primeira vez, é bastante natural se deparar com situações desafiantes. Por exemplo, como saber se o conteúdo ou atividade está na medida certa para alcançar o objetivo proposto por uma determinada pílula de conhecimento? Por isso, nada melhor que contar com uma plataforma de aprendizagem especializada em conteúdos educacionais e treinamentos que possam apoiar a sua empresa nas etapas de implementação, distribuição, armazenamento, acompanhamento e checagem de resultados.

Podemos concluir que as organizações têm um leque variado de opções quando o objetivo é oferecer oportunidades de desenvolvimento e crescimento para os seus profissionais. Em meio a imensa gama de modalidades de treinamento e desenvolvimento para colaboradores, o principal é identificar as melhores estratégias que se adaptam às suas diversas necessidades e às de seus diferentes stakeholders. Nesse cenário, em que pessoas e organizações estão hiperconectadas, o desafio principal é conseguir engajar os colaboradores sem desperdício de tempo e dinheiro.

Dessa forma, uma modalidade de ensino como o microlearning vai ao encontro dos interesses das pessoas que buscam atualização contínua e aprendizado interativo, que seja aplicável na prática. Nesse contexto, quando as empresas utilizam essa metodologia, conseguem prender a atenção dos colaboradores e atingir seus objetivos, sejam eles relacionados a ações de formação ou até mesmo para a divulgação de informações valiosas para a cultura organizacional. Portanto, é preciso estar ciente de que o mundo moderno mudou a nossa forma de trabalhar e aprender, e o microlearning, nesse contexto, é cada vez mais uma tendência.

Agora que você já conhece todos os benefícios do microlearning e em quais situações ele pode ser utilizado, que tal entender melhor como aproveitar ainda mais as suas vantagens? A nossa equipe está pronta para apoiar a sua empresa nessa jornada. Clique aqui e entre em contato.

Fique informado ao assinar a Newsletter Aspectum

Obrigado! Seus dados foram recebidos com sucesso.
Oops! Algo deu errado. Favor tentar novamente.
Junte-se a milhares de pessoas que recebem dicas sobre crescimento humano, hábitos de alta performance, habilidades de diálogo e liderança de equipes.